22 janeiro 2009

My heart is where it has always been...

Para meu regozijo, estava tudo igual!!! Senti-me tão em casa, que quando cheguei me pareceu ter de lá saído há uma semana atrás...
E foi tão bom que até doeu! Doeu ter que voltar, deixar a minha mãe outra vez à espera que chegue mais uma das filhas, deixar os amigos de sempre, aqueles com quem partilho sorrisos e as mais saudáveis loucuras, e deixar os amigos que não são de sempre mas que se fizeram presentes apesar da distância.
10 dias são tanto mas não deram para nada... De casa, só senti a cama, em horas nem sempre próprias para dormir, da cidade a chuva e o frio que não me deixaram curar a constipação, o tempo achei por bem dedicá-lo àqueles que me fazem falta!

Começar a semana com aqueles cafés que de café quase só têm o nome foi a melhor forma de inaugurar a estadia, e prolongar a noite a fazer "asneiras" na avenida fez-me ter a certeza que as crianças que somos ainda aqui estão prás curvas! Neste caso, não temos "uma criança dentro de nós", ela está totalmente do lado de fora.
E no fim-de-semana, apesar de ter ouvido um raspanete como se tivesse sido a primeira vez que cheguei a casa às 6 da manhã, foi bom demais voltar aos lugares do costume, com as pessoas do costume, e conhecer outras que começam a alargar o círculo do costume...
Para terminar, obrigado pelos abraços quentinhos e pelas conversas (ainda que por telefone) que lembram sempre as mesmas (e tão boas) histórias!

Para compensar a tristeza da partida, a chegada a Liverpool foi deliciosa! Bacalhau com natas e um bolinho de chocolate feitos com aquele carinho, à minha espera no sítio do costume... E amanhã tudo volta ao normal (?) com Múrcia/Dublin!


2 comentários:

Ana disse...

Tenho ainda algumas(fotos) do chá na casa do Fábio, no entanto ficam aquelas que o negativo não apaga, que não se perdem muna pen...as que ficam guardadas no coração de cada um de nos:)gostamos muito de ti miúda!!

Nanda disse...

Não soube que tinhas passado cá 10 dias...pensei que fossem só dois ou três dias...

E fico triste de ter ficado excluída de poder dar-te o abraço forte que eu queria. Apesar de saber que tem de ser assim... Tão perto e ao mesmo tempo tão longe.

Um beijinho muito grande.